Roland Garros será em setembro e provavelmente com público

Excelente notícia para os fãs de tênis! Após algumas semanas de discussões com as principais autoridades internacionais de tênis —ATP, WTA e ITF — a Federação Francesa de Tênis anunciou recentemente que este ano, Roland Garros, um dos Grand Slams da modalidade, será realizado em setembro — duas semanas após a disputa do US Open.

Três semanas de duração e presença de fase qualificatória

O Gran Slam parisiense será disputado por três semanas, de 21 de setembro a 11 de outubro, seguindo todos os protocolos de saúde necessários para evitar a contaminação da COVID-19 em pessoas que irão participar do evento — colaboradores, profissionais de vários setores, jogadores e público. Além disso, o torneio de qualificação para a chave a principal também está confirmado em Paris.

“Estamos muito satisfeitos que nossas discussões com as várias autoridades internacionais de tênis tenham nos permitido estender a edição 2020 do torneio Roland-Garros para três semanas. No clima atual e difícil, estamos bem cientes de que é um privilégio poder manter Roland Garros em seu formato usual. Especialmente porque o torneio de qualificação ajudará a apoiar financeiramente uma categoria de jogadores profissionais que foram severamente afetados por esta crise sem precedentes”, comunicou a organização de Roland Garros, por meio de nota à imprensa.

Diretor de torneios de Roland Garros quer presença do público

Como o pico da epidemia do coranavírus em Paris já passou e a situação por lá, até o momento, está aparentemente controlada, é muito provável que a próxima edição do Grand Slam parisiense conte com presença de público. De acordo com a imprensa francesa, a taxa de ocupação das quadras ainda será definida em comum acordo com as autoridades públicas.

“Vamos ver como está a situação daqui a alguns meses. Vamos nos adaptar ao que o governo dirá. Temos que ser ambiciosos e otimistas”, declarou Guy Forget, diretor de torneios de Roland Garros, em entrevista para a Rádio França Internacional (RFI).

Mas uma coisa é certa: o jogo não será mais interrompido devido à chuva, pois o novo teto retrátil sobre quadra central, Quadra Philippe Chatrier, acabou de ser instalado por completo. Além disso, a gigantesca estrutura de 10.000 metros quadrados sobre a quadra central pode ser removida em aproximadamente 15 minutos.

O que pensam alguns dos principais tenistas sobre Roland Garros em setembro

Após a confirmação de Roland Garros em setembro, muitos jogadores e jogadoras se manifestaram sobre o assunto. Novak Djokovic, atual número um do mundo e campeão do Grand Slam francês em 2016, já disse em várias entrevistas que treinará muito, para chegar bem preparado em Paris.

Andy Murray, por sua vez, que tenta reencontrar a sua melhor forma após duas cirurgias no quadril, ainda está um pouco receoso em disputar Roland Garros, tendo em vista que o calendário da ATP estará muito apertado —  além do US o Open bem próximo do Grand Slam francês.

Segundo Murray, a rápida mudança do US Open (disputado em quadra rápida), que será jogado duas semanas antes de Roland Garros, poderá ser prejudicial para os jogadores porque não haverá tempo suficiente para se adaptar para o piso de saibro do Grand Slam francês em pouco espaço de tempo.

Já Rafael Nadal, 12 vezes campeão em Roland Garros e maior tenista de todos os tempos no saibro, deve jogar em Paris. Porém, Nadal deve se poupar em alguns torneios que antecederão o Grand Slam de Paris. “É claro que é duro não jogar certos torneios, pois já não tenho 21 anos e custa falhar certo tipo de datas”, disse ele.

No feminino, as principais jogadoras do circuito devem jogar o torneio. No entanto, Serena Williams, considerada por muitos como a melhor jogadora de todos os tempos e três vezes campeã em Roland Garros, tem como prioridade disputar o US Open e ainda não sabe se terá condições físicas de encarar Roland Garros.

Os favoritos para vencer Roland Garros (no masculino e feminino), segundo as probabilidades da Betway

Chave masculina

  • Rafael Nadal: 53%
  • Dominic Thiem: 25%
  • Novak Djokovic: 25%
  • Stefanos Tsitsipas: 7%
  • Alexander Zverev: 5%
  • Daniil Medvedev: 4%
  • Andy Murray: 3%
  • Stan Wawrinka: 3%

*Roger Federer, lesionado, não jogará Roland Garros

Chave feminina

  • Simona Halep: 18%
  • Ashleigh Barty: 11%
  • Garbine Muguruza: 9%
  • Kiki Bertens: 9%
  • Serena Williams: 9%
  • Bianca Vanessa Andrescu: 8%
  • Naomi Osaka: 7%
  • Elina Svitolina: 6%

Análise das chaves de simples masculina e feminina de Roland Garros

Na chave masculina, não tem como negar o favoritismo Nadal. Sendo assim, ir contra o espanhol é arriscado. Levando em conta as últimas edições de Roland Garros, dificilmente o título sairá do seguinte trio: Nadal, Thiem e Djokovic.

Na ala dos que podem surpreender no masculino, Wawrinka, campeão em 2015, e Tsitsipas podem ir longe se ambos estiverem confiantes e em boa forma. Medvedev é outro que pode ir longe, mas o piso de saibro não é o seu forte.

Na chave feminina, Halep, campeã de Roland Garros em 2018, é a principal favorita a vencer o Grand Slam parisiense, de acordo com a Betway. A atual campeã, Barty, vem logo na sequência e também é uma das grandes favoritas. E também não podemos esquecer de Muguruza, vencedora de Roland Garros em 2016, que é uma tenista excelente quando joga confiante.

Já Serena Williams, que ainda não sabe se jogará em Paris, nunca se pode descartar como uma forte postulante ao título. Mas, aos 38 anos e no saibro depois de longa parada do tênis, é improvável que a tricampeã de Roland Garros vença o torneio em 2020.

As melhores casas de apostas para apostar em Roland Garros são:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top 5 sites de apostas
888sport

$40USD em apostas grátis*

Betfair

Até R$400 em bônus de boas-vindas com o código ZBBL01

Bet365

Até R$200 em bônus de boas-vindas

Rivalo

Até R$777 em bônus de boas-vindas

22Bet

Até R$600 em bônus + 22 Bet Points