US Open de tênis está confirmado para 31 de agosto

Depois de meses de indefinição devido ao novo coronavírus, a USTA (United States Tennis Association) definiu nos últimos dias que o US Open de tênis, um dos quatro Grand Slams da modalidade, começará no dia 31 de agosto e terminará em 13 de setembro. Porém, com algumas ressalvas.

Por conta pandemia, protocolos rígidos de saúde serão adotados para o US Open, torneio que é disputado no piso sintético, com esquemas de testes e restrições aos movimentos e atividades dos jogadores enquanto estiverem em Nova York. Não será permitida a entrada do público e o torneio terá formato reduzido. Além disso, os jogadores terão permissão para receber até três convidados, mas ainda não está claro quantas equipes de suporte terão em Flushing Meadows, local de disputa do US Open.

Entenda um pouco sobre como procederá a redução do formato de disputa

Além das medidas de segurança, a USTA anunciou uma série de reduções nas competições masculinas e femininas. Na próxima edição do US Open, não haverá a realização dos qualifyings — partidas que dão vagas para jogadores e jogadoras de ranking mais baixo na chave principal de simples da competição. Além do mais, os torneios de dupla feminino e masculino terão 32 competidores no lugar dos 64 tradicionais.

John Isner, melhor tenista estadunidense na atualidade, apoiou a decisão por meio de uma mensagem em seu perfil no Twitter. “Parabéns pela decisão, USTA. Uma grande conquista. Jogadores e fãs estão entusiasmados com isso. É tempo de voltar às quadras!”, declarou o jogador.

Porém, algumas restrições irritaram os jogadores, como Novo Djokovic, por exemplo. “Não teríamos acesso a Manhattan, teríamos de dormir em hotéis no aeroporto, para sermos testados duas ou três vezes por semana. Além disso, só poderíamos trazer uma pessoa para o clube, o que é realmente impossível. Nós precisamos de um treinador, de preparador físico e, depois, de um fisioterapeuta”, declarou o jogador número um do mundo.

Juízes de linha com chamadas eletrônicas nas quadras principais

O Arthur Ashe Stadium e o Louis Armstrong Stadium serão as únicas quadras que usarão juízes de linha com chamadas eletrônicas. Também é importante mencionar que o número de pessoas com bola (pegadores de bola) também será reduzido de seis para três em todas as quadras, exceto na Arthur Ashe Stadium e na Louis Armstrong Stadium.

Principais favoritos para vencer o US Open da chave masculina, segundo probabilidades da 888Sport

  • Nova Djokovic: 40%
  • Rafael Nadal: 20%
  • Daniel Medvedev: 12,5%
  • Dominic Thiem: 12,5%
  • Stefanos Tsitsipas: 7,7%
  • Alexander Zverev: 4,75%
  • Marin Cilic: 2,94%
  • Stan Wawrinka: 2,44%
  • Nick Kyrgios: 1,96%
  • Milos Raonic: 1,96%
  • Matteo Berrettini: 1,49%
  • Alex De Minaur: 1,49%
  • Andrey Rublev: 1,96%
  • David Gofiin: 1,49%
  • Jon Isner: 1,49%
  • Denis Shapovalov: 1,49%
  • Gael Monfils: 1,49%
  • Andy Murray: 0,99%
  • José Bautista-Agut: 0,99%
  • Kyle Edmund: 0,66%

*Lesionado, Roger Federer não jogará o US Open e retornará apenas em 2021

Principais favoritas para vencer o US Open da chave feminina, segundo probabilidades da 888Sport

  • Ashleigh Barty: 12,5%
  • Simona Halep: 12,5%
  • Serena Williams: 11,11%
  • Bianca Andreescu: 10%
  • Naomi Osaka: 9,1%
  • Petra Kvitova: 6,67%
  • Karolina Pliskova: 6,25%
  • Garbine Muguruza: 6,25%
  • Madison Keys: 4,76%
  • Sofia Kenin: 4,76%
  • Aryna Sabalenka: 4,76%
  • Elena Rybakina: 4,76%
  • Belinda Bencic: 3,23%
  • Elina Svitolina: 3,23%
  • Cori Gauff: 2,94%
  • Kiki Bertens: 2,94%

Análise dos candidatos ao título (chaves masculina e feminina)

Na chave masculina, é compreensível o favoritismo de Novak Djokovic, tricampeão do US Open, afinal de contas o sérvio é o melhor jogador do mundo. No entanto, é um pouco exagerado esse nível de favoritismo para o sérvio, tendo em vista que Rafael Nadal, tetracampeão do US Open, não deve ser subestimado.

Correndo por fora como underdogs na briga pelo título, Stefanos Tsitsipas, Dominic Thiem e Daniil Medvedev são os jogadores que, em tese, são os mais capacitados no momento para desbancar os favoritos Djokovic e Nadal. Além disso, Stan Wawrinka, campeão do US Open em 2016, é um jogador que pode surpreender.

Já na chave feminina, é importante ressaltar que Serena Williams, hexacampeã do US Open, declarou que muito provavelmente não irá disputar o US Open por conta do coronavírus, embora ele ainda não tenha confirmado a sua ausência no torneio.

Na disputa pelo título, várias candidatas surgem como grandes postulantes ao título da chave feminina. Além de Serena Williams, nomes como de Ashleigh Barty, Simona Halep, Bianca Andreescu (atual campeão do US Open) e Naomi Osaka, também estão no páreo para vencer o Grand Slam estadunidense.

As melhores casas de apostas para apostar no US Open de tênis são:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top 5 sites de apostas
888sport

$40USD em apostas grátis*

Betfair

Até R$400 em bônus de boas-vindas com o código ZBBL01

Rivalo

Até R$777 em bônus de boas-vindas

22Bet

Até R$600 em bônus + 22 Bet Points

Sportingbet

Até R$120 em bônus de boas-vindas